Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Mais 6,7 milhões de investimento para Santo Tirso

14 Abril 2016
Foto arquivo 1 980 2500

CÂMARA AJUDA A CRIAR AMBIENTE FAVORÁVEL À EXPANSÃO EMPRESARIAL

São 6,7 milhões de euros em investimento privado no Município de Santo Tirso. É este o valor estimado por três empresas do concelho para a aquisição, requalificação e ampliação de instalações, cujos projetos foram esta quinta-feira reconhecidos pela autarquia como interesse público municipal. Para o presidente da Câmara de Santo Tirso, Joaquim Couto, “a criação de um ambiente favorável à captação de novos investimentos e à melhoria das condições em que trabalham as empresas instaladas no concelho de Santo Tirso continua a dar frutos”.

Os resultados práticos das políticas de criação de condições para o desenvolvimento do tecido empresarial de Santo Tirso, um dos eixos estratégicos assumidos pelo executivo municipal de maioria PS desde outubro de 2013, estão bem patentes nos 6,7 milhões de investimentos que mais três empresas se propõem fazer no Município.

A par disso, e na senda da aposta na reabilitação do património industrial edificado que também tem sido preconizada pelo executivo liderado por Joaquim Couto, dois dos investimentos considerados de especial interesse público municipal vão permitir reabilitar parte da antiga Fábrica do Rio Vizela, em Vila das Aves.

“Tem havido um trabalho intenso junto das empresas e dos empresários que, muitas vezes, é invisível para a população, mas, como se vê, está a dar os seus resultados”, enalteceu o autarca.

Uma das medidas mais significativas na atração de novos investimentos em Santo Tirso passou pela medida da Câmara Municipal em criar diferentes incentivos fiscais. Assim, as três empresas que esta quinta-feira receberam o estatuto de interesse municipal na reunião do executivo camarário – propostas aprovadas por unanimidade – vão beneficiar de isenção e reduções em impostos e taxas como o IMI, Derrama e IMT.

Ao fazê-lo, explicou Joaquim Couto, “estamos a abdicar de uma receita fiscal superior a 330 mil euros. Em contrapartida, estamos a dinamizar a atividade económica do concelho, a incentivar a criação de riqueza e de postos de trabalho”.

O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso lembrou, ainda, que, a par das isenções fiscais, a autarquia tem adotado outras medidas, desde o melhoramento das acessibilidades rodoviárias às zonas industriais, à criação do Invest Santo Tirso – Gabinete do Empreendedor, que permitiu a criação de um corredor de licenciamento amigo das empresas.

Recentemente, segundo o relatório “Norte Conjuntura” da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, a taxa de desemprego no concelho de Santo Tirso desceu 20 por cento no terceiro trimestre de 2015, quando comparado com o período homólogo de 2014.

As restantes propostas da reunião do executivo camarário desta quinta-feira foram aprovadas unanimidade.

Foto arquivo 1 980 2500
Partilhar
ColorAdd Icone