Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Palcos de Santo Tirso com mais de três mil espetadores

11 Dezembro 2015
Img 1852 1 980 2500

MAIOR FESTIVAL DE TEATRO AMADOR DO PAÍS TERMINOU COM GRANDE PARTICIPAÇÃO DO PÚBLICO

Mais de três mil espetadores. Vinte e cinco espetáculos. Catorze dias e mais de 2700 quilómetros percorridos. Do drama à comédia, o Palcos de Santo Tirso – Festival de Teatro Amador contou com a participação de 143 artistas, de 11 companhias de teatro de todo o país. Um verdadeiro sucesso, segundo a organização.

Terminou no dia 6 de dezembro o Palcos de Santo Tirso – Festival de Teatro Amador. A iniciativa da Câmara Municipal em parceria com a Companhia de Teatro de Santo Tirso, levou a cena mais de duas dezenas de espetáculos, distribuídos por diferentes freguesias do Município.

Em jeito de balanço, de acordo com a Companhia de Teatro de Santo Tirso, o Palcos contou com a presença de cerca de 3348 espetadores, durante os 25 espetáculos apresentados em apenas 14 dias. Do drama à comédia, o Festival contou com a participação de 143 artistas.

Segundo Joaquim Couto, presidente da Câmara, esta foi uma iniciativa muito importante para o concelho, cultural e socialmente: “Com esta parceria que estabelecemos com a Companhia de Teatro de Santo Tirso, conseguimos trazer uma grande diversidade de peças para junto do público, o que nos permitiu descentralizar a cultura, e levá-la mais perto das pessoas. A adesão das pessoas superou as nossas expetativas”.

Paralelamente às encenações em palco, de entrada gratuita, a iniciativa contou com animação de rua durante todas as manhãs, em diferentes localidades do Município, como o Parque da Feira, o Largo Coronel Batista Coelho e os mercados de Vila Nova do Campo e Vila das Aves. “Criar uma ligação entre o público que passeia pelas ruas e o artista que desempenha a sua arte foi outro dos objetivos deste festival, contribuindo assim para a dignificação da atividade de animador de rua e para a aposta em animação de qualidade”, refere o autarca.

Alguns dos espetáculos, apresentados em escolas do concelho, acentuaram a ligação da cultura à vertente pedagógica. “A Câmara Municipal de Santo Tirso considera que a cultura é um instrumento de desenvolvimento social e económico, por isso é fundamental enquadrar este tipo de iniciativas com as escolas e os jovens”, acentua Joaquim Couto.

“Zé Pacóvio”, da Companhia de Teatro de Santo Tirso, deu início ao Festival na feira municipal de Santo Tirso. “Muito Moliére”, de Cláudio Hochman, “A menina do Mar”, de Sophia de Mello Breyner, “O Urso”, de Tchekov e “Óculos de Sol”, de Laura Ferreira, foram algumas das peças de cartaz. De enumerar também “A Noite”, de José Saramago, peça da companhia Plebeus Avintenses, premiada pela encenação e interpretação em Madrid.

A Companhia de Teatro de Santo Tirso tem por objeto social a realização de espetáculos de teatro, de divulgação de cultura poética, animação artística de rua, atos de variedades artísticas e musicais, publicações de obras literárias e outras atividades de natureza cultural.

Partilhar
ColorAdd Icone