Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Câmara atribui 100 mil euros para construção de centro de dia, creche e lar

25 Novembro 2014
Camara1 1 980 2500

A Associação de Solidariedade Social de S. Tiago de Rebordões vai receber um subsídio da Câmara de Santo Tirso de 100 mil euros, para a construção de um centro de dia, lar de idosos, serviço de apoio domiciliário e creche, com vista a alargar as respostas existentes no concelho em matéria de proteção social dos mais desfavorecidos. A proposta foi hoje, dia 25 de novembro, aprovada, por unanimidade, em reunião do executivo municipal liderado por Joaquim Couto. No total, a autarquia vai comparticipar com uma verba de 350 mil euros para a conclusão da obra, depois de já ter atribuído dois subsídios de cerca de 250 mil euros.

 

A Câmara decidiu ainda, por unanimidade, atribuir um subsídio, no valor de 12 500 euros, para fazer face às despesas com as obras de restauro da Igreja Paroquial da Freguesia de S. Miguel do Couto, cuja inauguração teve lugar dia 12 de outubro, com a presença do presidente da Câmara, Joaquim Couto, do vereador da Coesão Social, Alberto Costa, e do bispo auxiliar do Porto, D. Pio Alves.

O executivo municipal deliberou também celebrar protocolos com um conjunto de instituições do concelho, para a cedência das instalações desportivas a associações e coletividades que praticam futebol e futsal, em virtude de não terem campos e pavilhões para a realização de treinos e jogos.

A proposta decidida pela Câmara de Santo Tirso justifica-se pela dificuldade das coletividades e associações em suportar os custos relacionados com o aluguer das instalações desportivas, tendo por objetivo a prática do Desporto das camadas jovens nas modalidades de futebol e futsal.

O valor global envolvido nesta medida é da ordem dos 43 600 euros, cujo montante será reduzido no próximo ano para mais de metade, em virtude do processo de racionalização e otimização das infraestruturas desportivas que vai ser levado a cabo pela autarquia.

Os protocolos vão ser estabelecidos com a União de Freguesia de Lamelas e Guimarei, a União de Freguesias de Carreira e Refojos, a Associação Cultural e Desportiva de Lamelas e o FC Rebordões, proprietários de campos de futebol, e ainda com o Agrupamento de Escolas D. Afonso Henriques e Agrupamento de Escolas Tomaz Pelayo, detentores de pavilhões desportivos.

Os estabelecimentos de ensino do pré-escolar e do I Ciclo do concelho vão receber um subsídio de 18 mil euros no ano letivo 2014-2015, para a realização de visitas de estudos, em cuja verba já está completado um apoio para os alunos mais carenciados, com vista a fazer face a despesas relacionadas com entrada em museus, teatros e outros espaços educativos. A proposta mereceu unanimidade por parte do executivo municipal.

Ainda no âmbito da Educação, a Câmara deliberou na reunião pública de hoje aprovar o Plano de Transportes Escolares relativo ao ano letivo em curso, para alunos residentes no concelho a frequentar os II e III Ciclos do ensino básico e secundário e ainda os do pré-escolar e do I Ciclo com necessidades de deslocação, por força do encerramento de escolas imposto pelo Ministério da Educação. O investimento por parte da Câmara de Santo Tirso atinge cerca de um milhão de euros e engloba 2876 alunos, 2299 dos quais matriculados no pré-escolar e 577 no secundário.

 

SANTO TIRSO CONTRA O DESPERDÍCIO ALIMENTAR

Santo Tirso vai aderir ao Movimento Zero Desperdício, uma iniciativa lançada pela associação sem fins lucrativos DAR i ACORDAR, com o objetivo de aproveitar todos os bens alimentares excedentários de estabelecimentos de restauração e hotelaria, bem como géneros alimentares cujo prazo de validade esteja perto do fim.

Com a aprovação da celebração do protocolo com a associação fundada em 2011, o concelho vai passar a fazer a recolha dos bens alimentares excedentários e distribui-los por instituições, agregados familiares e pessoas carenciadas de Santo Tirso.

Para o presidente da Câmara, Joaquim Couto, “esta é uma decisão com uma carga simbólica importante, pois está em linha com a estratégia do executivo municipal em matéria de apoio aos estratos mais vulneráveis, principalmente num momento tão difícil como o que se vive em Portugal”.

Joaquim Couto sublinha ainda que a parceria com a DAR i ACORDAR vai permitir “fazer a recolha dos bens alimentares com qualidade, higiene e segurança” e distribui-los “em perfeitas condições de consumo” pelo concelho, minimizando, assim, as dificuldades dos mais carenciados e, ao mesmo tempo, combatendo o desperdício alimentar.

Partilhar
ColorAdd Icone