Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Santo Tirso debate inovação, empreendedorismo e criatividade

18 Novembro 2014
Hamodasquevemporbem jn 125x155 1 980 2500

DIAS 20 E 22 NA FÁBRICA DE SANTO THYRSO

Nos dias 20 e 22 de novembro, a moda tecnológica vai estar no centro de um debate promovido pela Câmara de Santo Tirso. A iniciativa “Há Modas que vêm por bem” pretende auscultar o estado do empreendedorismo português nesta área, ao mesmo tempo que quer garantir a formação e capacitação de empreendedores e empresários no Município. João Vasconcelos, diretor executivo da Startup Lisboa, Tiago Gomes Sequeira, da Startup Braga, Emanuel Proença, da Espírito Santo Ventures, e Maria Manuel Trocado Fernandes, do IAPMEI, são apenas alguns dos oradores convidados.

Quem são os investidores e o que pretendem, ou quais as principais dificuldades de quem está agora a começar e quais as formas de ultrapassá-las, são algumas das questões que terão resposta no “Há Modas que vêm por bem”. A iniciativa tem lugar na Incubadora de Moda e Design (IMOD) da Fábrica de Santo Thyrso que, desde setembro, acolhe seis empresas em fase de arranque.
No dia 20, quinta-feira, a sessão arranca às 14h30, com um painel de boas vindas, composto pelo presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, e o presidente da Comissão de Coordenação da Região Norte, Emídio Gomes.

O primeiro debate é dedicado ao empreendedorismo jovem, terão voz os responsáveis por alguns dos projetos nacionais mais interessantes da área, nomeadamente Andreia Campos, da Gleam, Diogo Cruz, da Verty, e Joana Campos Silva, da Fashion Makers.

A segunda mesa redonda juntará Emanuel Proença, da ES Ventures e Maria Manuel Trocado Fernandes do IAPMEI. A atração de investimento é um dos mais difíceis processos pela qual uma startup passa. Neste painel, vamos perguntar a um conjunto de investidores o que procuram? Em quem investem e porquê? Quais são as áreas que mais lhes interessam? Com que frequência investem? Qual é o panorama de investimento nacional?

Finalmente, o terceiro painel de quinta-feira debruça-se sobre o esforço, cada vez maior, dos países e das cidades em se posicionarem no ecossistema do empreendedorismo global. O que está a ser feito? O que tem corrido bem e o que precisa ser melhorado? Como podem as cidades sobressair com tanta competição? Para responder a estas questões, esta mesa redonda contará com os contributos de João Vasconcelos, da Startup Lisboa, Tiago Gomes Sequeira, da Startup Braga, Nuno Prata, da Fábrica de Santo Thyrso, Inês Santos Silva, da Startup Pirates, e Filipe Castro, da Universidade do Porto.

No dia 22, sábado, pelas 18h00, terá lugar um espaço de tertúlia com vários membros dos Global Shapers, uma comunidade internacional que tem como missão proporcionar aos jovens uma plataforma global para moldar positivamente o futuro – integrando as dimensões, pessoal, comunitária e global. Francisco Goiana será um dos participantes. Natural de Santo Tirso, é recém-graduado em Medicina pela Universidade de Lisboa, e frequenta atualmente o mestrado em Gestão Médica Internacional no Imperial College London. É um dos mais novos Conselheiros Externos da Organização Mundial de Saúde e representou Portugal no Fórum Económico Mundial, em Davos, enquanto membro dos Global Shapers Lisboa.

As conferências “Há Modas que vêm por bem” inserem-se na política de atuação da Fábrica de Santo Thyrso, gerida pela Câmara Municipal, que pretende integrar e criar redes institucionais, ligadas às áreas da moda, inovação e criatividade, que possam gerar novas fontes de financiamento e promover o trabalho desenvolvido nesta área.

“Esta é uma iniciativa que vai ao encontro com trabalho que tem sido desenvolvido pela Câmara de Santo Tirso, no sentido de dinamizar a economia criativa”, explica o presidente da autarquia, Joaquim Couto. Depois da primeira etapa, que envolveu o arranque da IMOD, acrescentou, “há, agora, todo um trabalho a fazer ao nível das sinergias”.

Partilhar
ColorAdd Icone