Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Câmara investe quatro milhões na requalificação de Casas Municipais

21 Fevereiro 2018
Img 1958 1 980 2500

CERCA DE 450 FOGOS E MAIS DE 1600 PESSOAS ABRANGIDAS

A Câmara de Santo Tirso vai investir cerca de quatro milhões de euros na recuperação de habitações municipais, numa intervenção que abrangerá cerca de 450 casas habitadas por quase 1 600 pessoas. A aposta passa por requalificar os fogos, corrigindo os prolemas atuais e melhorando a eficiência energética.

A Câmara Municipal de Santo Tirso tem em curso um plano de regeneração urbana das habitações municipais no concelho. O investimento, no valor de cerca de quatro milhões de euros, será faseado e inserido em candidaturas de financiamento ao Norte 2020.

“Estamos a apostar no desenvolvimento sustentável do Município e, por isso, a Câmara deve dar o exemplo”, explica o presidente da autarquia, Joaquim Couto, justificando assim o plano de regeneração urbana.

Para além da requalificação dos edifícios, com a correção das patologias existentes, as obras previstas têm por objetivo melhorar a eficiência energética nas habitações, através redução das emissões de dióxido de carbono e a utilização de energia renovável.

Assim, aponta Joaquim Couto, aliando a regeneração do património à defesa do ambiente, “a Câmara está também assumir a sua responsabilidade social, uma vez que permitirá que quem vive nestas habitações tenha mais conforto e menos custos".

Dos quatro milhões de euros de investimento previsto, um milhão já está no terreno, fruto de uma candidatura ao programa Reabilitar para Arrendar, do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU). A intervenção no Complexo Habitacional de Argemil inclui a recuperação do edificado e o reaproveitamento dos espaços públicos.

Ainda este ano, no segundo semestre, entrarão em obras as habitações municipais das freguesias de Água Longa, Agrela e Reguenga, com parte do investimento já garantido pelo Norte 2020. No total, a intervenção vai abranger 60 fogos e um valor de cerca de 730 mil euros.

Em Roriz e Palmeira, a Câmara de Santo Tirso prevê investir 450 mil euros através da candidatura ao Norte 2020, subindo para 820 mil euros em São Martinho do Campo e Rebordões, também em apreciação pelo Norte 2020, o mesmo sucedendo em São Tomé de Negrelos, onde está previsto investir 341 mil euros.

No Complexo Habitacional de Ringe, na freguesia de Vila das Aves, propriedade do IHRU, o valor global de investimento é de cerca de ,13 milhões de euros. O Instituto está a preparar uma candidatura de financiamento, para reabilitação das cerca de 164 casas que existem em Ringe, ficando a Câmara de Santo Tirso responsável pela requalificação de todo o espaço público envolvente ao complexo habitacional.

Segundo o presidente da Câmara de Santo Tirso, a par do investimento na regeneração urbana das habitações municipais, a autarquia tem também incentivado o setor privado, na área da reabilitação de edifícios abandonados, de forma a estimular o mercado de habitação no concelho. “Estamos a falar de uma estratégia global, de forte aposta na regeneração urbana no setor público e no setor privado”, conclui Joaquim Couto.

Img 1958 1 980 2500
Partilhar
ColorAdd Icone