Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Santo Tirso assinala Mês da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

02 Abril 2019
Calendario dos afetos junto a camara municipal 1 980 2500

CALENDÁRIO DOS AFETOS PRETENDE CHAMAR A ATENÇÃO PARA O PROBLEMA

A Câmara de Santo Tirso e a CPCJ estão a levar a cabo, durante todo o mês de abril, uma campanha que pretende sensibilizar a comunidade para a importância da prevenção dos maus-tratos na infância. A iniciativa arrancou esta segunda-feira, nos Paços do Concelho, com o primeiro dia de um “Calendário dos Afetos”.

“Temos de apostar na prevenção e esta campanha que a Câmara, juntamente com outras entidades, está a promover tem em vista chamar a atenção para o problema dos maus-tratos na infância”, explicou o presidente da autarquia.

Segundo Joaquim Couto, para além da sensibilização em curso, há também todo um trabalho realizado pela Câmara na área da ação social que “ajuda a prevenir situações de risco”. “Sabemos que muitos casos de maus-tratos na infância são reflexo de problemas na área social, como o desemprego, o abuso de álcool, a violência doméstica, ou o abandono escolar”, apontou, em declarações aos jornalistas, continuando: “É por isso que temos uma série de medidas sociais no terreno que visam minorar estas questões”.

“Dê um abraço ao seu filho”; “Diga à sua filha que confia e acredita nela”; “Deixe o seu filho escolher uma atividade para fazerem juntos” são algumas das frases que, acompanhadas por ilustrações, compõem o calendário dos afetos. Uma iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Santo Tirso e pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) dirigida a toda a população.

O laço azul, associado ao tema desde que, em 1989, Bonnie Finney o usou como símbolo da luta contra a violência a que os seus dois seus dois netos eram sujeitos, mantém-se em Santo Tirso, mas a ele surge associado o calendário dos afetos. Composto por mensagens chave de sensibilização e partilha de bons momentos em família, será entregue aos alunos do 1º ciclo. Além disso, desde esta manhã, está colocado no edifício dos Paços do Concelho um calendário com dois metros, alertando a importância da luta pela causa.

Segundo os dados disponibilizados pela CPCJ de Santo Tirso, as autoridades policiais e os estabelecimentos de ensino são quem mais sinaliza estes casos de maus-tratos na infância, mas os elementos anónimos da comunidade já surgem como a terceira entidade que denuncia.

As situações identificadas no Município estão sobretudo relacionadas com a exposição das crianças/jovens a comportamentos que afetam o seu desenvolvimento, nomeadamente violência doméstica, consumos de álcool e estupefacientes ou conflitos parentais pós divórcio.

Já os comportamentos de risco adotados pelos jovens prendem-se com consumos de substancias licitas e ilícitas, comportamentos graves, antissociais e indisciplina e situações que colocam em causa o direito à educação. Os mais afetados são os jovens dos 15 aos 17 anos, ainda que dos 11 aos 14 também se registe uma vasta diversidade de problemáticas associadas.

Partilhar
ColorAdd Icone