Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

“Santo Tirso apostou na prevenção com limpeza de terrenos"

01 Junho 2018
Dispositivo municipal 1 980 2500

PRESIDENTE DA CÂMARA APRESENTOU DISPOSITIVO MUNICIPAL DE DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS NO TERRENO A PARTIR DE HOJE

A Câmara de Santo Tirso tem no terreno, a partir de hoje, um Dispositivo Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios. Na apresentação dos meios, o presidente da autarquia, Joaquim Couto, lembrou a aposta na prevenção, com a limpeza de uma área de 30 hectares, nos terrenos do Município, e cerca de 44 hectares ao longo da rede viária. “Santo Tirso apostou na prevenção com a limpeza de terrenos e esperamos, com este dispositivo no terreno, diminuir o número de ocorrências de incêndio”, realçou.

A partir desta sexta-feira, Santo Tirso conta com um Dispositivo Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios, no qual estão incluídos corporações de bombeiros voluntários, sapadores florestais, equipas da GNR, PSP, Brigada de Proteção Ambiental ou Polícia Municipal.

“As ações de vigilância e primeira intervenção, levadas a cabo pelo Município arrancam hoje e prolongam-se até 15 de outubro. Mas o nosso trabalho começou há vários meses. Em fevereiro, iniciámos uma campanha de sensibilização dos proprietários dos terrenos florestais, para respetiva limpeza dos terrenos”, recordou Joaquim Couto, assegurando que a Câmara de Santo Tirso “também fez o trabalho de casa”.

Num investimento de cerca de 200 mil euros, a autarquia tem no terreno a beneficiação de 44 quilómetros da rede viária florestal do concelho, tendo já concluída a limpeza de vegetação nos terrenos propriedade do Município e nas faixas de proteção à rede viária florestal.

“Somos um exemplo no país. Até 31 de maio, assegurámos a limpeza dos terrenos municipais numa área total de 30 hectares e de 44 hectares ao longo da rede viária”, sublinhou Joaquim Couto, considerando que “a prevenção” é uma peça essencial na defesa da floresta contra os incêndios.

Com o Dispositivo Municipal no terreno e a articulação de meios, referiu o presidente da Câmara de Santo Tirso, há condições para “uma deteção mais rápida no alerta, uma intervenção mais eficaz e maior qualidade na gestão dos meios”. Obviamente, “o objetivo é diminuir o número de ocorrências”, apontou.

Este ano, a Comissão Municipal de Defesa da Floresta foi alargada, para que todas as entidades com especial dever de colaboração na área pudessem acrescentar mais valias na defesa da floresta e do território face aos incêndios florestais. Também durante este ano foram executadas, até ao momento, duas ações de gestão de combustível com recurso a fogo controlado, com o objetivo principal de formação e de defesa da floresta contra incêndios.

O Dispositivo Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios de Santo Tirso é composto pelas três corporações de bombeiros do concelho, designadamente veículos-tanques e outros veículos de combate a incêndios. Integram ainda o dispositivo a equipa de Sapadores Florestais, as equipas de proteção florestal da GNR, as equipas do comando da GNR de Santo Tirso e de Vila das Aves, apoiadas em viaturas todo o terreno, duas equipas da PSP, incluindo a Brigada de Proteção Ambiental, a Polícia Municipal, e ainda uma equipa de primeira intervenção da Junta de Freguesia de Agrela.

No terreno estará também uma patrulha a cavalo da GNR e três equipas da Associação de Empresas do Setor Papeleiro e de Celuloses (AFOCELCA), que conta com uma Brigada Helitransportada. Como complemento às operações de combate e rescaldo, o dispositivo conta com retroescavadoras e máquinas de rasto existentes no Município.

Partilhar
ColorAdd Icone