Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Joaquim Couto solidário com esforço dos Bombeiros no combate aos incêndios

10 Agosto 2016
Yr8b3259 1 980 2500

SANTO TIRSO TEM DISPOSITIVO MUNICIPAL ACIONADO DESDE 1 DE JUNHO

O presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, Joaquim Couto, expressou hoje “uma palavra de agradecimento e de incentivo” a todos os bombeiros envolvidos nos últimos dias no combate aos fogos que têm deflagrado no concelho de Santo Tirso. Fruto das condições climatéricas extremas, o que esteve na origem do acionamento, pela primeira vez no distrito do Porto, do Plano Distrital de Emergência, os bombeiros das três corporações voluntárias existentes no Município “têm sido incansáveis no socorro a pessoas e bens”, evitando, assim, que as ocorrências verificadas em Santo Tirso ganhem as proporções registados noutros pontos do País.

“Num momento em que está a ser exigido um grande esforço aos bombeiros do concelho, por força das inúmeras ocorrências verificadas nos últimos dias em Santo Tirso e na região norte, quero prestar uma homenagem a todos aqueles que têm combatido os incêndios e prestado todo o socorro às populações atingidas pelos fogos”, sublinhou hoje o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso.

A acompanhar a evolução dos incêndios no concelho e no distrito do Porto, na qualidade de presidente da Comissão Municipal de Proteção Civil de Santo Tirso, Joaquim Couto considerou que “o papel dos bombeiros e de todos os outros agentes de proteção civil tem sido fundamental para evitar males maiores para pessoas e bens”.

“As mulheres e os homens envolvidos no combate aos incêndios dos últimos dias têm demonstrado uma grande disponibilidade e espírito de sacrifício e de missão, arriscando muitas vezes a própria vida para salvar a do próximo”, reconheceu o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, para quem “as corporações de bombeiros voluntários são, indiscutivelmente, um pilar insubstituível em matéria de proteção e segurança da população de Santo Tirso”.

A Câmara Municipal tem, desde a primeira hora, prestado todo o apoio às operações de socorro, com a disponibilização de técnicos de apoio ao planeamento, equipas de ajuda à evacuação de casas, técnicos da Ação Social, Polícia Municipal, conforme as necessidades expressas pelos bombeiros, e ainda apoio de ordem logística variada, como, por exemplo, distribuição de bens alimentares.

Medidas a cumprir
Em face da permanência das condições climatéricas para os próximos dias, de acordo com a Autoridade Nacional de Proteção Civil, é previsível que se mantenha um elevado risco de novas ocorrências no concelho de Santo Tirso, com uma área florestal na ordem dos 47 por cento.

Assim, o Município de Santo Tirso faz um apelo a toda a população no sentido de respeitar as seguintes medidas:

• Não fazer lume ou fogueiras;
• Não fazer queimas ou queimadas;
• Não lançar foguetes e balões de mecha acesa;
• Não fumigar ou desinfetar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;
• Não circular com tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintores, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa-chamas nos tubos de escape ou chaminés.
• Devem ainda ser evitadas deslocações desnecessárias, em especial para as zonas próximas dos incêndios.

A partir do dia 1 de junho, o Município pôs em funcionamento o Dispositivo Municipal de Vigilância e Prevenção de Incêndios, composto por 22 equipas e cerca de 90 elementos. “O dispositivo tem como finalidade a proteção de pessoas e bens, sem descuidar a importância da floresta em todas as suas vertentes, priorizando o património, as infraestruturas, os aglomerados populacionais e as habitações isoladas e sociais”, realçou o presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, acrescentando que o Município tem assumido, todos os anos, uma despesa de cerca de 200 mil euros com a área da Proteção Civil, nomeadamente os apoios atribuídos às três corporações de bombeiros do concelho.

Partilhar
ColorAdd Icone