Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos
FacebookRSSadicionar aos favoritos

Câmara financia equipa de intervenção permanente dos Bombeiros Voluntários Tirsenses

02 Dezembro 2016
Foto de arquivo 1 980 2500

COMPARTICIPAÇÃO MUNICIPAL ATINGE 30 MIL EUROS POR ANO

A Câmara Municipal de Santo Tirso vai comparticipar, com cerca de 30 mil euros por ano, a criação de uma Equipa de Intervenção Permanente (EIP) nos Bombeiros Voluntários Tirsenses. Fruto do diálogo estabelecido com o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, o Município de Santo Tirso, a Autoridade Nacional de Proteção Civil e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Tirsenses vão assinar brevemente um protocolo que prevê a reativação daquela equipa permanente, o que se traduz num reforço dos meios de proteção civil e em mais um esforço por parte da Câmara Municipal de Santo Tirso em apoiar as corporações do concelho.

Consciente da pretensão dos Bombeiros Voluntários Tirsenses em reativar a EIP, a Câmara Municipal de Santo Tirso desenvolveu um conjunto de “démarches” com vista a dotar aquela corporação de uma equipa de cinco bombeiros em regime de permanência.
Com a entrada do novo Governo, em finais de 2015, o diálogo institucional intensificou-se e foi possível chegar a um acordo quanto às condições de funcionamento da EIP nos também conhecidos por bombeiros “Amarelos”.

No protocolo que vai ser assinado entre o Município de Santo Tirso, a Autoridade Nacional de Proteção Civil e a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários Tirsenses, a Câmara Municipal comparticipa em 50 por cento os custos da criação da EIP e a outra metade fica a cargo do Ministério da Administração Interna.

No total, a Câmara Municipal vai subsidiar os bombeiros “Amarelos” em mais cerca de 30 mil euros/ano, com o objetivo de melhorar a eficiência da proteção civil e das condições de prevenção de socorro à população do concelho de Santo Tirso, em matéria de acidentes e catástrofes.

Para Joaquim Couto, presidente da Câmara Municipal de Santo Tirso, houve dois aspetos decisivos para o desfecho do processo concluído por este Governo. Primeiro: “O secretário de Estado da Administração Interna teve um papel fundamental no que toca à forma como, desde a primeira hora, acompanhou o processo de diálogo, demonstrando uma grande preocupação para com as questões da melhoria da proteção civil e do socorro prestado à população”. Segunda: “A Câmara Municipal não só apoiou a pretensão manifestada pela Direção dos ‘Amarelos’, prontificando-se a fazer um esforço financeiro com vista a tornar possível o objetivo dos bombeiros, como nunca desistiu, com o anterior e o atual Governo, de chamar a atenção da tutela para a importância da valorização dos corpos de bombeiros voluntários”.

O presidente da Câmara de Santo Tirso sublinha ainda que o protocolo que será assinado para a constituição de uma EIP nos Bombeiros Voluntários Tirsenses “é mais um exemplo do esforço que a Câmara Municipal tem vindo a desenvolver com vista a apoiar os bombeiros do concelho e a melhorar a qualidade da prevenção e do socorro prestados à população de Santo Tirso”.

Constituída por cinco bombeiros em regime de permanência, todos os dias úteis, a EIP dos Bombeiros Voluntários Tirsenses tem como missão garantir o socorro à população do concelho de Santo Tirso, numa área de atuação que representa 34% da área total do Município, abrangendo 32 mil dos cerca de 71 residentes em Santo Tirso.

A par da EIP que vai ser reativada nos bombeiros “Amarelos”, a Câmara Municipal também já financia as equipas permanentes nos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso e nos Bombeiros Voluntários de Vila das Aves, num investimento de mais cerca de 60 mil euros/ano.

No total, a Câmara Municipal tem encargos assumidos em matéria de apoios atribuídos aos bombeiros e à proteção civil na ordem dos 200 mil euros/ano.

Partilhar
ColorAdd Icone